Este é um método prático e revolucionário de medir em poucos segundos  a biodisponibilidade dos mineras no corpo, além de intoxicação por metais pesados, avaliação de estresse oxidativo e possibilidade de desequilíbrios orgânicos pela carência ou excesso de minerais. É um exame seguro, indicado para pessoas acima de 14 anos, gestantes, idoso e adultos. Sem restrições.

A medida é feita diretamente no consultório com um aparelho portátil usado sobre as mãos. Os dados coletados serão enviados em segundos ao servidor Central e a resposta sobre o exame solicitado sairá alguns minutos.

Esta avaliação individualizada é uma técnica revolucionária para garantir o equilíbrio mineral em tempo real e em caso de sobrecarga ou intoxicação por metais pesados, será ofertado  agentes quelantes adequados através do plano alimentar, de complementos nutricionais e de fitoterápicos e na deficiência de minerais será ofertado o mineral  na quantidade e forma adequada para suprir a necessidade. Desta forma, o paciente vai observar mais resultado na sua saúde  e alcançar com mais eficiência os seus objetivos.

O Mineralograma é um exame de tecnologia extremamente sofisticada, revela os excessos de metais pesados e a deficiência de minerais essenciais no organismo. Os metais pesados a cada dia vão nos intoxicando, devido ao consumo de alimentos contaminados, a utilização abusiva de produtos excessivamente industrializados e a exposição ambiental a essa substâncias. Com o passar do tempo, substâncias tóxicas vão se acumulando em certas áreas do corpo humano. E, por incrível que pareça, esse desequilíbrio fica registrado.

Estes dados permitem um diagnóstico preciso para saber como está o nosso metabolismo, nosso organismo, o que estamos comendo de mais ou de menos, quais as nossas carências ou eventuais deficiências- e essa medição exata e quantitativa flagra inúmeras irregularidades, antes mesmo delas terem assumido o caráter de doença, como ocorre, por exemplo, na Osteoporose, etc.

De extrema importância o tratamento da intoxicação por metais tóxicos, como chumbo, alumínio, cádmio, mercúrio e outros. O Chumbo é um dos metais tóxicos mais encontrados e os sinais clínicos mais evidentes de intoxicação por chumbo, presente principalmente em áreas industriais e que até pouco tempo era adicionado a gasolina, são irritabilidade, agressividade, sangramento nas gengivas, impotência sexual, síndrome do pânico, fadiga, medos, diminuição da memória em adultos e dificuldade de aprendizagem em crianças, além de outros sintomas.  O Mercúrio, encontrado nas amálgamas dentárias, mariscos contaminados pelo metal assim como alguns componentes de cálcio de ostras (sem controle de qualidade das ostras utilizadas, se contaminadas ou não por mercúrio), pode provocar intoxicação levando a depressão, fadiga e alterações neurológicas que podem até levar a encefalite. Já o Cobre pode causar dores articulares, fadiga, depressão e dificuldade de aprendizagem em crianças entre outros sintomas. O Alumínio, por sua vez, compromete principalmente os ossos e o cérebro. Acredita-se que a intoxicação por esse metal possa ser um dos desencadeadores da Doença de Alzheimer, que leva a uma demência total como aconteceu com a atriz Rita Hayworth e acometeu o ex-presidente americano Ronald Reagan. O alumínio ainda pode provocar depressão e impotência sexual, entre vários sintomas descritos pela ciência. Ele está presente nos laminados (papel alumínio, marmitex, panelas), desodorantes anti-perspirantes e outros cosméticos, pastas de dente, etc.

A falta de minerais essenciais ou o excesso de algum desses minerais tóxicos estão comumente associados com fadiga, stress, artrite, diabetes, depressão, osteoporose, diabetes, agressividade, irritabilidade, dores musculares, disfunções relacionadas ao colesterol, processos irregulares de envelhecimento (radicais livres), complicações do aparelho digestivo (como a má absorção dos alimentos), hipertensão e uma série de problemas do organismo.

Com dietas específicas e suplementos vitamínicos, que incluem os chamados “varredores de radicais livres” (anti-oxidantes), além de fitoterápicos, homeopatia, etc o profissional de saúde pode corrigir o metabolismo e melhorar as condições gerais do organismo, retirar os metais tóxicos, caso existam, além de apontar tendências e prevenir doenças.

Contínuas evoluções no estudo da micronutrição têm demonstrado que cada vez mais pessoas recorrem a suplementos minerais. A alimentação saudável não fornece mais os elementos nutricionais necessários e, para ter um sistema imune capaz de combater doenças e manter um nível excelente de energia e clareza mental, somos obrigados a buscar esses elementos em outro lugar: – os Suplementos.

Os minerais, na forma de suplementos, devem ser tomados sob prescrição feita por um Médico ou Nutricionista que vai verificar com segurança se a pessoa tem alguma deficiência mineral e indicará a combinação adequada de minerais que atuarão em conjunto para tornar mais saudável quem as ingerir.

Enfim, o equilíbrio dos minerais no organismo é importante e necessário para o bom estado de saúde. Faça então este exame e descubra como estão os níveis de minerais nas suas células.

Agende seu exame